Marketing médico: Por onde começar?


Nos dias atuais, com o crescimento dos meios digitais, todos os profissionais precisam se adaptar para utilizar a ferramenta de forma eficiente. As pessoas estão cada vez mais conectadas, em busca não apenas de entretenimento e conversas, mas também de serviços. Por isso, todo tipo de função precisa estar atento a isso e, para ajudar, falaremos aqui sobre o marketing médico.


Sim, os profissionais da saúde também podem se posicionar nos meios digitais. Afinal, todos se importam com o bem-estar e não é rara a busca por serviços e textos médicos em plataformas como o Google. A partir do momento que um doutor consegue se posicionar como figura de autoridade nas pesquisas, tornando-se referência, ele abre um leque maior de oportunidades em sua carreira.


Por isso, nosso objetivo é falar mais sobre os primeiros passos na hora de investir no marketing digital. O que os profissionais podem fazer para se expor de forma positiva nas mídias sociais e outras ferramentas advindas da internet. Fique atento e confira a seguir.


O que fazer para iniciar um projeto de marketing médico?


O primeiro para o sucesso no marketing médico é conhecer exatamente qual é o seu público-alvo. Obviamente, isso passa muito pela especialidade do profissional. Um pediatra, que atende crianças, deve atrair nas mídias mães e pais relativamente jovens, com filhos pequenos, etc. Se o doutor é um geriatra, a situação é completamente diferente.


E como descobrir isso? Uma boa forma é realizar levantamentos a partir das pessoas que vão ao consultório para terem um atendimento. Captando dados como média de idade, tipo de plano de saúde, profissão, entre outras, é possível criar um banco de dados. Isso pode ser feito por meio de programas automatizados.


A partir destas informações, o médico tem melhores condições de montar um site, um blog ou um perfil em determinada rede com a linguagem certa para aquele público, utilizando estratégias de SEO, pensando em palavras-chave que pessoas com estas características pesquisam no Google, etc.


Ou seja, o início de tudo precisa ser baseado no conhecimento do público. Saber com quem se está falando e quem precisa ser atingido pelos conteúdos é essencial para o marketing digital.


Além disso, uma boa tática é perceber o que os concorrentes da área estão fazendo. Outros médicos usam esta estratégia? O que eles fazem? Saber isso não serve para copiar, mas sim para entender como atuar neste segmento e, melhor ainda, como criar diferenciais que coloquem acima da concorrência, atraindo maior número de pessoas.



Por fim, vale uma menção especial sobre restrições de publicidade médica na internet. Algumas regras precisam ser observadas e, caso não seja possível conhecer todas, contar com a ajuda de agências de marketing especialistas no tema é fundamental.


Por exemplo, não é permitido fazer divulgações de especialidades que não seja a do próprio médico, assim como nenhum estudo sem comprovação científica pode ser colocado em uma peça de publicidade.


Os materiais também precisam trazer especificações sobre as qualificações do médico, como o número de identificação no Conselho Regional de Medicina, por exemplo. Ainda existem outras regras, por isso é essencial o aconselhamento com empresas conhecedoras da área.


É o caso da Prodoctor Marketing. Ficou interessado em investir no marketing médico ou, pelo menos, saber mais sobre o tema? Fale com a gente. Estamos prontos para ajudá-lo e montar o plano ideal para que seu trabalho se torne ainda mais visível para todas as pessoas.