Como montar um consultório: desde a abertura até a divulgação

Quer montar seu consultório sem cometer os erros mais comuns? Confira aqui como realizar todo o processo de abertura até a divulgação com sucesso.


1. Escolha o melhor local possível


A escolha do local é um dos fatores mais decisivos para a abertura do seu consultório, isso porque mudar a localização física do seu consultório exigirá um investimento alto.


Pense se a localização que você está considerando é de fácil acesso, se há espaço para um estacionamento, e considere um espaço que possa ser ampliado, pois caso seu consultório cresça, não será preciso mudar de endereço.


Outros pontos que devem ser considerados durante a escolha do local, é lembrar qual é o perfil dos pacientes que você deseja atrair.


Caso seu principal objetivo seja fidelizar pacientes que você atende através de convênio, por exemplo, montar seu consultório perto de postos de saúde pode ser uma boa opção.

Porém, se você está focando em atrair pacientes particulares, focar em regiões frequentadas pelas classes A e B pode ser mais vantajoso.


Não se esqueça de observar se há outros estabelecimentos médicos com o mesmo perfil do seu consultório instalados na região, pois isso pode ser um sinal de que os serviços de saúde já são suficientes naquela área.


2. Faça uma boa escolha do imóvel


Escolher um bom imóvel é tão importante quanto fazer uma boa escolha do local, afinal, a estrutura do consultório é um dos investimentos que normalmente mais pesam na hora da abertura do negócio.


A estrutura básica de um estabelecimento médico normalmente conta com uma recepção, banheiros, salas de atendimento e, dependendo da sua especialidade, uma sala exclusiva para exames.


Se for possível, escolha um imóvel que permita criação de espaços como uma copa para sua equipe de colaboradores ou, caso seu negócio venda produtos de saúde, um local para armazenar seu estoque, pois assim seu consultório pode ficar mais organizado e dinâmico.


Outra questão importante, que normalmente uma boa parte dos administradores acabam deixando de lado, é garantir acessibilidade para todas as pessoas, inclusive aquelas com deficiências, idosos, entre outros.


Não se esqueça de verificar se a estrutura do imóvel segue as normas exigidas pelos órgãos regularizadores como a Anvisa.


3. Invista na decoração


A decoração é a primeira impressão visual que seus pacientes terão do seu serviço médico. O ditado “a primeira impressão é a que fica” não existe à toa, por isso, investir em uma boa decoração pode ser uma ótima estratégia.


Apesar de poucos médicos perceberem isso, a decoração do consultório é uma das maneiras de você se comunicar com seus pacientes, além de ajudar na construção de uma marca forte para o seu consultório.


Para um consultório pediátrico, por exemplo, ter uma decoração focada nas crianças ajuda a criar uma boa experiência para elas e suas famílias, mesmo antes de estarem em atendimento.


Um consultório com aparência bagunçada, sem nenhuma cor ou mesmo sem mobílias confortáveis, raramente vai conseguir fidelizar qualquer tipo de paciente.


4. Escolha a categoria do seu atendimento


  • Clínica médica popular: as clínicas populares oferecem serviços médicos voltados para o público que não é associado a um plano de saúde particular. Uma das maiores vantagens desse tipo de clínica é o crescimento rápido do número de pacientes;


  • Consultório incluindo até duas especialidades médicas: essa categoria é voltada para clínicas e consultórios que tem até dois profissionais da saúde com especialidades diferentes trabalhando como sócios. Esse caso é bastante comum com fisioterapeutas que dividem consultório com acupunturistas, entre outros;


  • Clínica geral que realiza procedimentos médicos simples: essa categoria é voltada para os estabelecimentos que priorizam realizar procedimentos médicos, por isso possuem uma grande disponibilidade de materiais, insumos e medicamentos, além de profissionais especializados para fornecer o atendimento mais adequado.


Saber exatamente qual categoria seu consultório se encaixa é muito importante, principalmente quando falamos em declarar o imposto de renda.


Procure pesquisar essa classificação não apenas no âmbito da ANS, mas também no tributário, assim, você consegue fazer um planejamento excelente dos próximos impostos que serão cobrados.


5. Conheça as exigências legais e sanitaristas


Antes de abrir de fato seu negócio, você precisa legalizar seu consultório, atendendo todas as exigências legais e sanitaristas necessárias.


Para obter um funcionamento legal e seguro, é preciso buscar uma série de autorizações, advindas, por exemplo, do corpo de bombeiros, da Vigilância Sanitária e de outros órgãos da prefeitura – o que varia de cidade para cidade –, bem como do registro do consultório enquanto pessoa jurídica (CNPJ).


O mais recomendável é sempre ter um contador de confiança para cuidar das questões burocráticas e fiscais. Se possível, conte com os serviços de alguém que tenha familiaridade com a área de saúde ou disposição para aprender.


Você não pode se esquecer para legalizar o seu consultório nos seguintes órgãos:


Cadastro Estadual de Vigilância Sanitária: um conjunto de dados de um estabelecimento que desenvolve atividade de interesse à saúde, onde pelo menos um dos profissionais deverá constar como responsável técnico do consultório;

Cadastro no CNES: o CNES é um registro que todos os estabelecimentos que oferecem serviços relacionados à área da saúde devem possuir, obrigatoriamente. Saiba mais sobre como adquirir o CNES neste artigo.


Licença de Funcionamento: ato privativo do órgão de saúde competente (geralmente a nível municipal) que permite o funcionamento dos estabelecimentos que desenvolvem atividades de acordo com a legislação sanitária vigente.


Para obter a licença de funcionamento, é necessário apresentar um laudo técnico de avaliação do imóvel, quando for dada entrada ao pedido. Não se esqueça que o licenciamento deve ser renovado anualmente.


6. Faça um bom gerenciamento de custos


Realizar uma boa gestão é fundamental para garantir que seu consultório não feche por erros comuns de administração que a maioria dos profissionais da saúde cometem.


Como mencionamos no começo do artigo, normalmente os médicos não são formados para serem profissionais empreendedores.


Pensando nisso, trouxemos as principais questões sobre gestão que você deve se manter atento para garantir uma boa administração do seu negócio, como o gerenciamento de custos.


Você provavelmente já teve alguma experiência em clínicas, consultórios ou até mesmo hospitais, e deve saber a quantidade de papel exigida para os processos dentro de cada local.


Existem diversas alternativas que te fazem economizar nos custos com impressão, papel e até mesmo telefonia.


Utilizar o computador para registrar os pacientes, ou fazer uso do WhatsApp Web na recepção, por exemplo, pode te ajudar a cortar gastos desnecessários.


Com a economia alcançada com esses fatores, você pode investir em melhorias dentro do próprio estabelecimento, e oferecer mais conforto aos pacientes.


Além de focar na redução de custos, como gastos com papel, telefonia, luz e impressão, a primeira atitude que você deve tomar em relação à administração do seu consultório é adotar um bom software médico.


Existem ótimos softwares médicos no mercado que facilitam e organizam os processos, melhoram a produtividade da equipe e trazem mais segurança na tomada de decisões.


Com um ótimo controle financeiro desde o começo, fica fácil ter um financeiro saudável mesmo no início, quando você tem menos fluxo de pacientes no consultório.


Na hora de planejar sua gestão, lembre-se de ter uma reserva financeira para suportar os custos fixos na fase inicial, onde você tem menos retorno. E não se esqueça de separar uma parte do dinheiro para investir na divulgação, afinal, para atrair mais pacientes esse é um processo fundamental.


Por fim, você provavelmente precisará de alguém que te ajude a organizar o dia a dia da clínica, agendar e registrar os pacientes. Para essa tarefa, saiba escolher uma boa recepcionista.


A recepcionista será o seu braço direito na organização das tarefas, então é essencial que você tenha alguém de confiança e que possua as habilidades necessárias que o trabalho exige.



É claro, além da recepcionista, talvez você precise de enfermeiros, funcionários de limpeza, entre outros. Então na hora de realizar o planejamento de custos, lembre-se de contar esses profissionais.

Procure saber mais sobre os direitos trabalhistas, assim, você evita problemas legais e também garante um ambiente confortável para toda a sua equipe.


7. Divulgue o seu consultório


Por último, mas com certeza não menos importante, para poder exercer seu serviço médico no consultório, é preciso divulgar seu consultório e atrair pacientes.


A melhor maneira de fazer isso é por meio do marketing médico. Uma ótima dica é começar pela presença digital que seu consultório deve ter.


Hoje em dia, todos que procuram algum serviço ou produto buscam primeiro no Google, ou até mesmo no Youtube, para saber mais sobre o que estão interessados e procuram recomendações.


Por isso, colocar seu consultório nesses meios de pesquisa é extremamente importante.

Considere criar um perfil do seu estabelecimento no Google Meu Negócio, assim, você disponibiliza informações importantes como horário de funcionamento, fotos e formas de contato.


Dessa forma, toda vez que alguém fizer uma pesquisa no Google que seja relacionada à sua clínica ou especialidade, ela aparecerá como uma das respostas.


Uma outra dica é começar a trabalhar na identidade visual do seu consultório.

A identidade visual de um negócio abrange diferentes elementos como símbolos, cores, decoração e até mesmo a linguagem utilizada na comunicação com os pacientes.


Exemplos práticos da construção de uma identidade visual seriam o logo da clínica – que pode ser exibido em vários lugares, até mesmo no receituário -, cartões de agendamento, uniforme de funcionários, materiais personalizados e afins.


Um logo marcante estimula a associação de imagem pelos pacientes com a experiência que eles tiveram em sua clínica. Assim, ao encontrarem seu logo divulgado na internet, eles se lembrarão de você.

As redes sociais estão se mostrando cada vez mais importantes no processo de atração de novos pacientes. Seja no Facebook ou Instagram, você precisa estar presente onde seus pacientes estão.


Porém, é importante se atentar aos limites do marketing médico segundo as exigências do CFM.


Esses meios de comunicação devem ser utilizados com cautela, por isso, lembre-se de dar uma olhada nas regras antes de começar a comunicação com seus pacientes.


Sabemos que a rotina de um médico administrador não é tranquila, por isso, considere investir em uma agência especializada em marketing médico para realizar a divulgação do seu serviço.


Dessa forma, você pode focar em atender seus pacientes e administrar seu consultório, sem se preocupar em também ter que planejar todo o processo de divulgação.


Esses foram os principais pontos que você deve se lembrar na hora de montar seu consultório.